Selo Sesc no Guia da Folha e no Divirta-se

O Selo Sesc está lançando o disco “Ascensão”, álbum póstumo inédito de Serena Assumpção, filha de Itamar Assumpção. Para comemorar o novo CD no catálogo, o Selo Sesc fará o show de lançamento no Sesc Pompeia nos dias 07 e 08 de julho. A Atelier foi a responsável pela divulgação, tanto do CD quanto do show, e não deu outra! O Guia da Folha, do jornal Folha de S. Paulo, e Divirta-se, do O Estado de S. Paulo, além da versão online da Veja São Paulo estampam em suas páginas a apresentação da cantora.
Segundo a publicação do Estadão, Serena Assumpção trabalhou no álbum “Ascenção” nos últimos cinco anos de sua vida, que foi gravado em abril do ano passado.”Com a morte de Serena, em março deste ano, seus amigos se encarregam de levar o trabalho ao palco.”, afirma o Estadão. Já a Folha diz que o disco conta com a participação de mais de 50 músicos, com cada faixa saudando um orixá. “Nomes como Karina Buhr, Tulipa Ruiz, Céu, Banda Tono e Analis Assumpção se reúnem para homenagear a cantora.” A Veja São Paulo completa dizendo que os artistas que gravaram as músicas dos álbum estarão no show. “Cada um cantará a sua faixa, acompanhados pela Banda Tono”.
Em atividade há 12 anos, buscando registrar o que de melhor é produzido na área cultural, o Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Este ano já lançou os CDs “MPB4 – 50 anos – O Sonho, a Vida, a Roda Viva!”, “Donato Elétrico”, de João Donato e “Rei Vadio” , além dos DVDs “O Fim do Mundo, Enfim” e “O Sal da Terra – Uma Viagem com Sebastião Salgado”. Todos divulgados pela Atelier, que é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Confira as matérias:
Selo Sesc - Divirta-se - 01.07.2016
Selo Sesc - Guia da Folha - 01.07.2016

Na Folha e no Estadão no mesmo dia: MPB4 lança CD pelo Selo Sesc

Para comemorar os seus marcantes 50 anos de trajetória, o grupo MPB4 lança pelo Selo Sesc um álbum de músicas inéditas e ganha as páginas dos principais jornais do Brasil. Os músicos foram capa do Caderno 2, do jornal O Estado de S. Paulo, além de estar presente na Ilustrada, da Folha de S. Paulo, e em seus respectivos guias. Assim como Francis Hime, com Navega Ilumina, a Atelier foi responsável por divulgar o disco que comemora os 50 anos de carreira do grupo MPB4.
Em entrevista ao Estadão, os músicos falaram do processo de seleção das músicas do novo trabalho. “O MPB4 tem uma preocupação grande com o que vai dizer. Desde o começo, aquelas músicas que não falavam aos nossos corações e às nossas mentes, já rejeitávamos. O que nos norteou foi qualidade de letra, beleza harmônica e brasilidade”, afirmou Dalmo, integrante do MPB4.
Em atividade há 12 anos, buscando registrar o que de melhor é produzido na área cultural, o Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Lançou em 2016 o DVD “O Fim do Mundo, Enfim” (sobre histórico encontro punk na década de 1980), “Donato Elétrico” (João Donato), “Rei Vadio” (homenagem de Romulo Fróes a Nelson Cavaquinho), “Portrait” (Maury Buchala) e “Diálogos Interiores”, (Dimos Goudaroulis e Eduardo Contrera).
Confira:
Selo Sesc - O Estado de S. Paulo - 13.05.2016 - C1
Selo Sesc - O Estado de S. Paulo - 13.05.2016 - C5
Selo Sesc - Folha de S. Paulo - 13.05.2016

Folha recomenda o disco "Rei Vadio", do Selo Sesc

O jornal Folha de S. Paulo trouxe no caderno Ilustrada amplo texto sobre o lançamento do Selo Sesc, Rei Vadio, de Romulo Fróes, em tributo a Nelson Cavaquinho. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Fróes falou sobre o processo de criação do CD e da sua visão da obra de Cavaquinho. Segundo o músico, “é um disco de samba, mas não como acham que o samba tem de ser, e sim a partir das minhas experiências”.
Já o jornal afirmou que “se o compositor mangueirense fazia o que queria ‘como vender sambas e passar dias na rua bebendo’, não teria sentido para Fróes, ao gravar um CD apenas com canções de Nelson, realizar um tributo bem comportado, destoando da carreira que vem desenvolvendo”.
Em atividade há 12 anos, buscando registrar o que de melhor é produzido na área cultural, o Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Lançou em 2015 o documentário “Eduardo Coutinho, 7 de Outubro”, dirigido por Carlos Nader, e o DVD triplo “Os Náufragos do Louca Esperança”, da diretora francesa Ariane Mnouchkine.
Confira abaixo a matéria:
Folha de S. Paulo

Homenagem do Selo Sesc ao Nelson Cavaquinho é recomendada pelo Estadão e rádio MEC, do Rio

O show de lançamento do CD de Romulo Fróes, Rei Vadio, pelo Selo Sesc e em homenagem ao compositor Nelson Cavaquinho, é recomendado pelo guia semanal Divirta-se, do jornal O Estado de S. Paulo, e pela Rádio MEC, do Rio de Janeiro. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Segundo o Divirta-se, o disco marca os 30 anos da morte de Nelson Cavaquinho, que faz releituras de canções do sambista. Já para a rádio, Fróes afirma que o que o atrai no legado de Nelson é tratar a canção de um modo mais reflexivo, melancólico e menos luminoso.
Em atividade há 12 anos, buscando registrar o que de melhor é produzido na área cultural, o Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Lançou em 2015 o documentário “Eduardo Coutinho, 7 de Outubro”, dirigido por Carlos Nader, e o DVD triplo “Os Náufragos do Louca Esperança”, da diretora francesa Ariane Mnouchkine.
Confira abaixo a matéria no guia, ou clique aqui para conferir a entrevista na rádio MEC.
Guia Estadao

Novo CD do Selo Sesc é recomendado pela Veja, Estado de Minas e Correio Braziliense

Lançamento do Selo Sesc, Donato Elétrico, CD inédito de João Donato, é recomendado pela revista Veja e está na capa do caderno Cultura do jornal Estado de Minas, e do caderno Arte & Cultura do Correio Braziliense. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Segundo a Veja, João Donato se reuniu com um grupo de músicos de São Paulo para recriar Quem É Quem, de 1973. A ideia foi tão certeira que Donato se animou a gravar um novo álbum, Donato Életrico, lançado pelo Selo Sesc.
O jornal Estado de Minas entrevistou o músico e afirmou: “Desta vez, Donato não tocou piano, apenas teclados – rhodes, farfisa e moog, entre outros. O que não significa que, somado ao fato de seus parceiros terem menos da metade da sua idade, o artista tenha radicalizado no som. Ao contrário, o balanço característico está lá, e as composições têm aquele molho cujo sabor fica entre Brasil e Caribe”.
Ao jornal Correio Braziliense, Donato explicou a criação do CD. “Eu vou para o estúdio e, na maioria das vezes, crio os temas ali na hora.”
O programa Metrópolis, da TV Cultura, o musico falou sobre o processo criativo do álbum que é totalmente novo mas, feito à moda antiga. Confira a matéria na integra.
Em atividade há 12 anos, o Selo Sesc busca registrar o que de melhor é produzido na área cultural, construindo um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema.
Confira as matérias abaixo:

Trabalho da Atelier emplaca seis produtos do Selo Sesc na mídia

Em apenas um final de semana, a Atelier conseguiu divulgar e emplacar seis produtos do Selo Sesc. Os discos “Café no Bule”, “Jazz na Fábrica” e “Donato Elétrico”, além dos DVDs “O Diabo era Mais Embaixo” e “O Fim do Mundo, Enfim”, marcaram presença na Folha de S. Paulo. O filme “O Sal da Terra” foi recomendado pelo Faustão no programa Domingão do Faustão, da TV Globo. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
O Guia Mensal da Folha de S. Paulo trouxe três produtos em suas páginas: os discos Café no Bule e Jazz na Fábrica e o DVD O Diabo era Mais Embaixo. Já o Guia Semanal do jornal recomendou o show de lançamento do “Donato Elétrico”, nos dias 11 e 12 de março. Também da Folha, a Revista sãopaulo destaca o documentário “O Fim do Mundo, Enfim”, lançamento do Selo Sesc.
Em rede nacional, Faustão divulgou o documentário “O Sal da Terra”, indicado ao Oscar de melhor documentário em 2015, vencedor do César no mesmo ano e do Prêmio do Júri na seção Un Certain Regard do Festival de Cannes em 2014.
Em atividade há 12 anos, o Selo Sesc busca registrar o que de melhor é produzido na área cultural, construindo um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema.
Confira as matérias da Folha abaixo:

Selo

Disco do Selo Sesc é avaliado como ótimo pelo jornal O Globo

O CD Donato elétrico, do pianista João Donato, lançado pelo Selo Sesc, é avaliado e recomendado como ótimo pelo crítico Leonardo Lichote, do jornal O Globo. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Lichote afirma que João Donato, neste primeiro disco de inéditas em 14 anos, revisita o espírito e a sonoridade de grandes álbuns seus. “Em Donato elétrico (Selo Sesc), o pianista soa como um moleque — com todas as manhas e sabedorias trazidas pela idade levadas sem empolgação de ‘mestre’”.
Segundo o crítico, o músico passeia por todos os gêneros que calham de passar por suas mãos. “Em cordas, sopros e eletricidades mil, Donato expõe no disco o melhor do futurismo e do vintage”, finaliza.
Em atividade há 12 anos, o Selo Sesc busca registrar o que de melhor é produzido na área cultural, construindo um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema.
Confira a matéria abaixo, ou clique aqui para ver online:
Selo Sesc

De SP para o mundo: Atelier divulga Selo Sesc em publicação do Japão

A Atelier é a empresa responsável pela divulgação à imprensa do Selo Sesc e seus lançamentos de CDs e DVDs. “Porto da Madama”, do músico e compositor Guinga, acaba de romper as fronteiras brasileiras. Foi destaque em cinco páginas na edição de janeiro da Revista do Japão.
O CD conta com 13 faixas compostas por nomes como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Dorival Caymmi e Luiz Gonzaga, e dá nova roupagem a clássicos da MPB apostando no formato voz e violão, com arranjos inéditos do artista, que ainda apresenta composições com alguns de seus parceiros, entre eles Aldir Blanc.
Em atividade há 12 anos, buscando registrar o que de melhor é produzido na área cultural, o Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Lançou em 2015 o documentário “Eduardo Coutinho, 7 de Outubro”, dirigido por Carlos Nader, e o DVD triplo “Os Náufragos do Louca Esperança”, da diretora francesa Ariane Mnouchkine.
Confira!
0001
0002
0003
0004
0005

Revista sãopaulo recomenda lançamento do Selo Sesc

A coluna Fique Em Casa, assinada por Manuel da Costa Pinto, na Revista sãopaulo, do jornal Folha de S. Paulo, dedicou uma página inteira, recomendou e classificou como ótimo o DVD Boulez +, lançado pelo Selo Sesc. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Do fim de 2015, o DVD faz uma homenagem aos 90 anos do compositor erudita Pierre Boulez. Para o colunista, Boulez + “mostra justamente como o mestre francês conseguiu dotar as asperezas da música especulativa – que busca sempre ampliar o campo do possível no âmbito da técnica e da estrutura – de uma expressividade que, se não corresponde a nossos padrões de eufonia, também contraria expectativas de uma frieza laboratorial”.
Em atividade há 12 anos, buscando registrar o que de melhor é produzido na área cultural, o Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Lançou em 2015 o documentário “Eduardo Coutinho, 7 de Outubro”, dirigido por Carlos Nader, e o DVD triplo “Os Náufragos do Louca Esperança”, da diretora francesa Ariane Mnouchkine.
Confira a matéria abaixo, ou clique aqui para ler no site da Folha.
Revista saopaulo

Sr. Brasil entrevista Sebastião Biano

O Mestre dos Pífanos, Sebastião Biano, lançou pelo Selo Sesc seu primeiro CD solo e marcou presença no programa Sr. Brasil, da TV Cultura. A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do Selo Sesc.
Entrevistado por Rolando Boldrin, o músico contou sobre sua carreira, onde começou a tocar pífano em 1924 e como se tornou o fundador da Banda de Pífano de Caruaru. Junto de sua banda, Sebastião tocou duas músicas do novo disco. Boldrin elogiou o trabalho de Mestre Biano. “Que trabalho bonito o Sesc fez com vocês. O Sesc que produziu com vocês.”
O Selo Sesc constrói um precioso acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema, além de tocar duas músicas. Lançou neste ano os CDs “Mãe Carinhosa”, da cabo-verdiana Cesaria Evora”; o documentário “Eduardo Coutinho, 7 de Outubro”, dirigido por Carlos Nader; e o DVD triplo “Os Náufragos do Louca Esperança”, da diretora francesa Ariane Mnouchkine, todos divulgados com sucesso pela Atelier.
Confira abaixo o programa na íntegra: