ICD ganha espaço na Folha de S. Paulo

O restauro da Capela da Ordem Franciscana Secular do Valongo, que será viabilizado pelo Instituto de Cultura Democrática (ICD), é notícia na coluna da Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo.
A Capela, datada do século XVII, fica no bairro do Valongo, em Santos, ao lado do Santuário Santo Antonio do Valongo. Em seu interior, o altar-mor e o retábulo se estendem por toda a parede do fundo da capela. O retábulo é tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria de imprensa do ICD e da restauração da Capela da Ordem Franciscana Secular do Valongo.
Folha de S. Paulo - 24.04.2015

Atelier inicia acompanhamento e divulgação de restauro de capela em Santos

A Atelier iniciou o acompanhamento, com  registro em fotos e vídeos, e a divulgação (via assessoria de imprensa e redes sociais na internet) do projeto de restauração da Capela da Ordem Franciscana Secular Valongo, em Santos.
Em 15 de abril foi realizado o primeiro encontro entre as equipes técnicas (de restauro, engenharia e arquitetura) e representantes das instituições que desenvolverão o projeto: Antonio Carlos Rizeque Malufe, presidente do Instituto de Cultura Democrática (ICD), ministro Edilson Machado Araújo, da Ordem Franciscana Secular do Valongo, em Santos, e representantes da empresa Formarte.
Preservada pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Capela Secular do Valongo data da segunda metade do século XVII . “Foi dada a largada para devolver a Santos esse patrimônio histórico nacional”, disse Antonio Carlos Malufe, presidente do ICD.
valongo_slide_site_atelier
 

Revista Veja São Paulo ressalta reabertura da Igreja da Ordem Terceira e suas relíquias barrocas

A revista Veja São Paulo publicou na edição de 18 de junho a reabertura da Igreja da Ordem Terceira, no centro da cidade de São Paulo, após cinco anos de restauro. Inaugurada em 1788, ela conta com um acervo de valiosas obras barrocas, como pinturas de dos séculos XVIII e XIX.
Outra relíquia que a igreja guarda é um livro de óbitos que permite pesquisas sobre a genealogia dos paulistanos que financiaram a construção e familiares de bandeirantes. A reportagem traz uma entrevista com Percival Tirapelli, professor de História da Arte da Unesp, que enfatiza a importância da igreja para São Paulo. “Trata-se de um lugar sagrado não apenas para os cristãos, mas para a história política e arquitetônica brasileira”, comentou o professor.
A Atelier de Imagem e Comunicação é responsável pela assessoria do Instituto de Cultura Democrática.
veja_sao_paulo_18.06.14