A imprensa em transformação

Nos dias atuais, a informação está cada vez mais conectada em diferentes canais de comunicação.
 
De Gutenberg até os dias de hoje, a imprensa passou por grandes transformações. Notamos alguns pontos importantes na trajetória, como, por exemplo, a primeira publicação impressa, periódica e semanal, chamada Nieuwe Tijdinghen, que é datado em 1602, na Antuérpia. Outro registro ocorreu a partir de 1638, em Londres. O jornal Weekly News foi o primeiro a publicar noticiário internacional. Já em língua portuguesa não poderia ser diferente. O primeiro foi a Gazeta da Restauração, de Lisboa, Portugal. Mas, foi só a partir de 1650, que surgiu o primeiro jornal impresso diário do mundo: o Einkommende Zeitungen, ou, em português, Notícias Recebidas, fundado na cidade alemã de Leipzig.
 

Em terras tupiniquins, a imprensa nasceu no Rio de Janeiro, em 13 de maio de 1808, com a criação da Impressão Régia, que hoje é a Imprensa Nacional, pelo então príncipe-regente Dom João. Nota-se dois importantes avanços na imprensa brasileira. O primeiro é a Gazeta do Rio de Janeiro, marcando o início da imprensa no território nacional, utilizando um poderoso maquinário de origem britânica.
 
Foi em 10 de setembro de 1808, que a circulação da Gazeta começou. Mesmo que a imprensa já tivesse oficialmente iniciado, com a criação da Imprensa Régia, o lançamento da Gazeta foi marcado pela primeira edição de um periódico. Vale ressaltar que, antes da chegada da família real, toda atividade de imprensa era proibida no Brasil. Assim como a publicação de livros, panfletos e jornais.
 

Um pouco antes do governo português publicar seu jornal, Hipólito José da Costa lançou o Correio Braziliense, em primeiro de julho de 1808, que foi impresso na Inglaterra, Londres, e distribuído de maneira clandestina no Brasil. Apesar da publicação do Correio Braziliense ser anterior a da Gazeta, o Dia Nacional da Imprensa foi comemorado no dia 10 de setembro até o ano de 1999. Já no ano 2000, a comemoração passou a ser em primeiro de julho devido a uma lei criada pelo deputado Nelson Marchezan e sancionada pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.
 
A imprensa no mundo moderno: a conectividade de dados, informações, canais de comunicação, internet, possibilitaram a notícia em tempo real. Interação e opinião no mesmo instante do fato. Jornais, mídias, empresas, órgãos, instituições e marcas seguiram o motor da história e os avanços tecnológicos.  Em toques rápidos em smartphones, tablets ou outros dispositivos, o mundo busca por informação na rapidez de segundos.
 

Neste sentido, a tarefa primária da imprensa consiste em fornecer ao leitor informações que lhe permitam formar opinião acerca do mundo em que vive. Mas, seguindo a velocidade das transformações tecnológicas e históricas da sociedade. É notável que os meios de comunicação estão cada vez mais conectados. A informação nunca foi tão buscada como nos dias atuais. Comportamento, decisão de compra, hábitos de consumo, a informação tem um forte poder de decisão.