História de Assis Ângelo ganha destaque do Estadão

Um dos maiores pesquisadores da cultura popular, sobretudo em terras nordestinas, o jornalista, poeta, biógrafo, estudioso, radialista e escritor Assis Ângelo, luta para conservar um enorme acervo cultural que foi coletado e guardado por mais de 40 anos.
O jornal O Estado de S. Paulo visitou o acervo que conta com mais de oito toneladas de materiais como livros, LPs, fitas-cassetes, partituras, dentre outros e entrou em contato com o Ministério da Cultura que informou que considera muito importante cuidar do acervo do pesquisador Assis Ângelo, dada a sua relevância histórica e grandiosidade. O ministro já determinou à Fundação Nacional de Artes (Funarte) que entre em contato com o pesquisador e tome todas as providências necessárias para que o patrimônio acumulado por Assis Ângelo seja preservado.
Ao final, o pesquisador disse que não pode deixar seu material, que foi sua vida por 40 anos, na mão de um Estado que não investe em cultura e que, na crise, seus primeiros cortes são na área de educação.
A Atelier de Imagem e Comunicação apoia Ângelo e acredita que todo patrimônio histórico e cultural merece ser preservado, além de permanecer à disposição para consultas.
Leia a matéria abaixo:
O Estado de S. Paulo - 16.08 - C4